O pé diabético é uma das complicações dos pacientes diabéticos. Estima-se que 10 a 20% dos pacientes diabéticos são portadores de úlceras nos membros inferiores.
Diabéticos além de terem deficiência na visão, em função da retinopatia diabética, podem apresentar lesão grave em um pé, podendo piorar a situação. Também são portadores de neuropatia, ou seja, deficiência na sensação de dor, formigamentos, em virtude da destruição da capa de mielina que recobre e protege o nervo periférico. Têm facilidade de infecção, podem apresentar deformidades osteoarticulares, e, também doença nos rins e coração.

Os sintomas mais frequentes são:

- Desaparecimento ou diminuição dos reflexos do tendão, das rótulas e do calcanhar.
- Diminuição na sensibilidade de temperatura e dor.
- Mau cheiro exalado pela gangrena diabética.
- Mal perfurante plantar.
- Gangrenas de dedos que podem evoluir rapidamente para pé e perna.

Cuidados importantes:

Todo paciente diabético deve sempre:
Controlar a glicemia
- Pequeno trauma deve ser cuidado com atenção redobrada.
- Lavar os pés e dedos diariamente e secar cuidadosamente, principalmente entre os dedos. Secar com secador de cabelo a temperaturas morna ou fria.
- Examinar os pés diariamente a procura de lesões: cortes, bolhas, calos. Olhe sempre entre os dedos. Se não conseguir fazer essa inspeção sozinho, peça ajuda.
- Micoses são perigosíssimas!!!
- Nunca utilize bolsa de água quente ou compressas quentes nos pés. Se sentir frio, agasalhar com cobertores ou meias de lã. .
- Use sapatos confortáveis, de tamanho adequado, não apertado. Cuidado especial com sapatos novos.
- Não utilize sapatos sem meias. Não utilize fita adesiva, esparadrapo ou qualquer outra no pé.
- Não use sandálias com tiras entre os dedos.
- Evite andar descalço mesmo dentro de casa, muito cuidado com pedras, parafusos, pregos, vidro, e qualquer peça pequena que possa machucar.
- Não corte as unhas, lixar é a melhor opção.