1) VASINHOS:


Conceito : Também conhecidos como TELANGECTASIAS ou MICROVARIZES , são dilatações de veias superficiais, pouco calibrosas. Causam problemas estéticos, aumentam com o passar do tempo; as pacientes queixam-se de dor em queimação, principalmente no calor, na menstruação e após atividades físicas.

Por que ocorrem: Hereditariedade; gravidez; anticoncepcionais; reposição hormonal; obesidade; musculação nas pernas; permanecer muito tempo em pé ou sentada e depilação com cera quente. Estes são fatores predisponentes.
São mais frequentes nas mulher do que no homem.

Tratamento: Podem ser realizadas microcirurgias com anestesia local, com afastamento do trabalho por algumas horas, com restrições mínimas, não são necessários pontos, raramente ocorrem cicatrizes, os hematomas são pequenos e desaparecem em pouco tempo.

O tratamento mais comum é a "secagem" ou escleroterapia convencional.
O Laser não é a melhor opção, pois podem deixar manchas, queimaduras e há a necessidade da escleroterapia complementar. O Tratamento é eterno, pois é comum a paciente ter o conceito de que as varizes voltam. Isto não é verdadeiro!
O Verdadeiro é que eles recidivam, ou seja, surgirão outros que deverão ser tratados com brevidade.

Prevenção: NÃO EXISTEM REMÉDIOS QUE PREVINEM VARIZES! NÃO ACREDITEM EM PROPAGANDAS NESTE SENTIDO.

A prevenção tem início com os hábitos de EVITAR anticoncepcionais de uso prolongado, reposição hormonal, obesidade, musculação nas pernas, permanecer muito tempo em pé ou sentada e depilação com cera quente.
A utilização de meias elásticas (existem várias marcas), atividade física, elevar as pernas e saltos de 4 a 5 cm são medidas que auxiliam na prevenção.

2) INSUFICIÊNCIA VASCULAR CEREBRAL EXTRA CRANIANA ou CARÓTIDAS


Conceito: Doença cérebro-vascular, que é a isquemia cerebral ou AVC (Acidente Vascular Cerebral) ou derrame cerebral, em função da presença de placas de ateroma, ou seja, de gordura, na carótida, que vai causando estreitamento progressivo nesta artéria, hemorragias na placa de gordura, e a embolia de trombos ou partículas de placa, que "viajam" da carótida até as artérias do cérebro.
São responsáveis por 30 a 40% dos AVCs Isquêmicos.

Causas: Níveis elevados de colesterol, triglicérides, diabetes, tabagismo, Hipertensão arterial, hereditariedade e estresse.

Sintomas:
Formigamento na face, tonturas, perda da visão por alguns segundos com recuperação, dificuldade para falar, ligeiro cansaço até paralisia.

Diagnóstico: Exame Físico, Doppler e se necessário: Angioressonância Magnética ou Angiotomografia ou Artériografia.

Evolução:
O risco de AVC em estenoses de carótidas acima de 60%:

1º ano: risco de 5 a 8%

Depois do primeiro sintoma:

Após um ano: Risco de AVC 15%
Após 5 anos: Risco de AVC 40%

Tratamento:
Pode ser clínico em lesões menores que 60% se, sem sintomas em pacientes acima de 80 anos de idade e em assintomáticos.

Cirúrgico ou stents em lesões acima de 70%, em pacientes com sintomas e naqueles que apresentarem derrames cerebrais transitórios e reversíveis.

 

 

Obstrução Parcial da Carótida Interna

 

 

 

 

 

 

Ato Operatório

 

 

 

 

 

 

Placa de Ateroma Retirada